Modelo de Negócio

Estratégia e Crescimento

Com concessões ferroviárias que conectam tradicionais polos de produção agrícola e industrial aos principais portos do País, a Rumo possui uma estratégia de crescimento que se alicerça em seus diferenciais competitivos e planos de investimento, bem como nos desafios logísticos enfrentados pelo Brasil. O principal objetivo do negócio é arrojado: mais que dobrar a capacidade de transporte ferroviário do negócio nos próximos dez anos. 

Esse plano está em consonância com a necessidade de responder aos gargalos logísticos nacionais. Com pouco mais de 20% de participação na matriz de transporte do País, segundo dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), o modal ferroviário é capaz de aumentar a competitividade da indústria nacional e potencializar os negócios da companhia. Aumentar sua adesão significa, também, aprimorar as alternativas ao escoamento da produção do agronegócio, responsável por 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e 37% dos empregos em solo brasileiro, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A Rumo trabalha para assegurar a perenidade dos negócios, combinar a atuação em projetos logísticos intermodais ao transporte ferroviário e estabelecer relações de longo prazo com seus clientes. Os princípios básicos que regem a visão de futuro para o negócio são:

Concentrar o crescimento onde a Rumo tem uma clara vantagem competitiva 

O objetivo da empresa é atender corredores ferroviários e intermodais que ampliem sua participação de mercado entre clientes que, historicamente, utilizam caminhões como principal meio de transporte no Brasil. Assim, pode-se demonstrar as vantagens do modal ferroviário em relação ao rodoviário em segmentos como os de produtos industriais.

Manter rígidos controles de custos

O compromisso com a perenidade dos negócios está na base da disciplina de execução, com foco em custos baixos e crescimento em volume e receitas. Entre as prioridades estão o controle do consumo de combustível e a gestão de fornecedores.

Cumprir os compromissos acordados com os clientes

A confiança dos clientes é uma das principais formas de potencializar os resultados do negócio e estabelecer relações comerciais de longo prazo. Entre os focos atuais está elaborar parcerias para ampliar a infraestrutura logística.

Maximizar a utilização de ativos e o retorno sobre o capital empregado

Para otimizar a lucratividade e o retorno sobre capital investido, a Rumo empregará programas de maximização do uso dos ativos na malha ferroviária e continuará os investimentos na eliminação de gargalos, buscando adequar as aquisições de equipamentos à demanda esperada.

Plano de Investimentos

Para alcançar tais objetivos, a Rumo projeta investimentos de R$ 7 bilhões a R$ 9 bilhões nos próximos cinco a dez anos. Somente até 2019, serão R$ 7,4 bilhões, com foco de longo prazo e propósito claro de reduzir os custos de operação e aumentar a capacidade, a eficiência e o nível de serviço da organização. 

Em resposta à diminuição de velocidade média das ferrovias registrada nos últimos anos, que gerou autuações por parte da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) e queixas de clientes, parte significativa dos recursos – entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões – será aplicada na recuperação da malha e na ampliação e construção de novos pátios. Com isso, pretende-se melhorar o acesso a portos estratégicos, como Paranaguá (PR), Santos (SP), São Francisco do Sul (SC) e Rio Grande (RS). Há, ainda, duplicações planejadas, como no caso do trecho Itirapina-Campinas.

Outra parte significativa dos investimentos (R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões) se concentrará na substituição e reforma de locomotivas e vagões. Um dos focos é ampliar a frota de vagões de 100 toneladas, aumentando a capacidade de escoamento.

A partir de 2017, com a conclusão do primeiro ciclo de investimentos de curto prazo, já haverá geração positiva de caixa, como reflexo das melhorias de eficiência projetadas.

Unidades de Negócio

Estamos organizados em unidades de negócios, que melhor representam as malhas e os principais setores de mercado que atuamos. Nossas unidades de negócios são Operação Norte composta pela Malha Norte, Malha Paulista e operação portuária de Santos, Operação Sul composta por Malha Oeste e Malha Sul e Operação de Contêineres composta por nossa subsidiária Brado Logística e outros resultados de operações de contêineres.

Operação Norte

Por meio de nossa unidade de negócios Operação Norte, transportamos principalmente commodities agrícolas, como grãos (soja, farelo de soja e milho) e açúcar, bem como fertilizantes. A forte presença do transporte ferroviário neste setor é devido ao fato de que a nossa malha ferroviária permeia grande parte das áreas de produção agrícola do Brasil (estados do Mato Grosso e São Paulo), bem como ao fato de que os clientes neste segmento tem as características certas para o transporte ferroviário,grandes volumes e alta regularidade. Também transportamos produtos industriais, tais como combustíveis, madeira e papel e celulose. Além disso, através dos nossos terminais no Porto de Santos, fazemos elevação de commodities agrícolas, principalmente açúcar e grãos.

A Operação Norte representou quase 73% da nossa receita líquida em 2015. O volume transportado no período foi de aproximadamente 28,7 milhões de TKU, representando aproximadamente 64% do volume total transportado. Todo volume de carga transportada estava relacionado com as exportações. Os principais clientes nesta unidade de negócios são as traddings de grãos, incluindo Bunge, Amaggi, Cargill, ADM e Louis Dreyfus, entre outros. Através de nossas operações no Porto de Santos elevamos cerca de 12 milhões de toneladas de commodities agrícolas em 2015.

Operação Sul

 A Operação Sul consiste em uma malha ferroviária que se estende através dos estados de Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Transportamos principalmente commodities agrícolas, como grãos (soja, farelo de soja e milho), açúcar, arroz, trigo, bem como fertilizantes. Também transportamos produtos industriais, tais como combustíveis, madeira, papel e celulose.

A receita líquida da Operação Sul representou cerca de 23% de nossas receitas totais em 2015. O volume transportado neste ano foi de aproximadamente 14,1 milhões de TKU representando aproximadamente 31% do volume total transportado. Os principais clientes nesta unidade de negócios são Santa Terezinha, Bunge e Petrobras, entre outros.

Operação de Contêineres

 Com a Operação de Contêineres transportamos produtos agrícolas, como algodão e celulose, e produtos industriais como carga refrigerada e minério. Sua receita líquida representou quase 7% de nossas receitas totais em 2015.

Última atualização em
Voltar